1 de junho de 2011

Deficitário país de valores

Há uns tempos de não teço aqui comentários. Aliás, há muito que apenas dirijo o pensamento para as pessoas que me são mais próximas. Por isto, a semana passada perguntei-me: por que será que isto acontece? Andei estes dias a tentar arranjar resposta. Acontece que não cheguei a uma razão concludente. Várias surgiram no pensamento. O bombardeamento da necessária (?) ajuda do FMI, as notícias sobre um escândalo de um tipo da Escola de Chicago (à imagem de Friedman) que tentou tirar de esforço algo íntimo de uma fulana (há semanas atrás alguém sabia quem era este senhor? Será ele assim tão democraticamente importante para abrir telejornais e encher páginas?) , a fatídica crise (de valores, certamente) e ainda o casamento de um inglês com uma ex-amiga de turma…

Tantos temas que juntamente com outros não fazem a razão de voltar aqui. Mas como a consciência já começava a pesar, apenas quero deixar duas reflexões: a pré-campanha para as Legislativas e os feitos históricos do grande FC Porto.

Sobre a primeira situação, espero que os dias que faltam para 5 de Junho sejam de esclarecimento, de discussão de pontos de vista, de aprofundamento de modos de vida colectivos que levam ao bem-estar individual. Certamente que há culpados pela situação a que chegamos. Mas não menos certo é que os erros há muito se atropelam; não começaram há um par de anos. E não são os tropeções burgueses de três décadas de liberdade que fazem apagar a memória de um respeitável povo ocidental da Europa. É tempo de convocar todos os cidadãos a expressarem nas urnas o que lhes vai na mente. Convencer quem nunca votou, falar com quem vive de preconceitos, fazer observar que o nome das siglas pouco representam para a razão a que se lhes assiste. Lutar contra esta crise de valores, de ganância, de profissionalismo político, da busca desenfreada pelo poder, do desrespeito pelo ser humano em nome do crescimento económico. Quando a política se coloca de joelhos perante esta “neo-economia”, então algo vai muito mal nesta sociedade, pois não há segurança que segure a desejada flexibilidade. Nem que seja em branco, vote! É que a utopia do nosso sonho, felizmente, ainda ninguém conseguiu dar-lhe uma valor monetário para cobrar créditos financeiros.

Por fim, o grande FC Porto! Será este o maior exemplo de como se constrói algo de positivo? Talvez. Um clube que tão bem representa uma região. Um emblema de paixão, de feitos colectivos, que tem como base uma liderança com as mesmas três décadas que atrás abordei. Um FC Porto que vence títulos, que destrói corporativismos. Um FC Porto que se impõe em termos nacionais e a partir de uma das regiões mais pobres da Europa. Que não se rebaixa ao centralismo (um bem haja ao nosso querido Eça) que atrofia este país. Um FC Porto que se ergue e chega ao topo do Mundo. Um FC Porto que cria escola e que já serve de exemplo a outros congéneres do Noroeste Peninsular (parabéns Sporting de Braga). Um FC Porto que faz com que milhares de cidadãos se esqueçam dos problemas que diariamente se debatem para conseguir colocar os bens básicos necessários à sobrevivência dentro de casa e ao dispor da família. Por tudo isto, e porque muitas mais palavras teriam de ser tidas em conta para descrever esta colectividade que não pára de ser um caso de estudo, apenas termino convidando-o a sonhar (é gratuito!) perante esta frase: que enorme FC Porto para tamanho deficitário país de valores…

31 de julho de 2009

Um bicampeão nacional que parte...
Um senhor do futebol...
Até sempre sir. Bobby Robson...

26 de julho de 2009

Só ouvido...

Aqui fica a qualidade do jornalismo desportivo e da opinião dos canais privados portugueses. Se já não bastava o péssimo trabalho da TVI e do seguidismo na investigação da Sport TV, eis que somos brindados com este apanhado da SIC.

Acompanhado por José Augusto Marques (o tal que berra por tudo e por nada, mesmo que seja por um pontapé de baliza), Jorge Baptista (benfiquista de alma e coração) é um dos protagonistas. Depois de dizer que Vítor Baía era o maior flop do futebol nacional e de opinar em feição das amizades e sempre circunscrito aos gostos pessoais, esta figurinha consegue, além do gozo para com determinadas pessoas, dizer que desconhece o defesa Ujfalusi - central checo, de cabelo comprido e fita, que diversas vezes defrontou Portugal e que na última edição da Champions defendeu as cores do Atlético de Madrid frente ao FC Porto.

As vozes foram gravadas na apresentação do Benfica aos associados e quando figuras públicas adeptas dos encarnados subiam ao palanque. Enquanto Augusto Marques lança críticas aos meios técnicos da SIC, Jorge Baptista demonstra o amargo de boca por não ter sido convidado pelo clube para subir ao palco; a única coisa que lhe salva e que tem bom gosto no apreciar das belezas naturais femininas.

Só ouvido…

21 de julho de 2009

Atentados à liberdade...

A TVI foi impedida, esta segunda-feira, de fazer a cobertura da apresentação de Ramirez como novo jogador do Benfica. Ao que aparenta, o clube da Luz repete uma atitude mais vezes vivida a Norte, concretamente no FC Porto. Eu próprio já o senti na pele, enquanto jornalista do extinto Sportugal.

A queixa da estação de José Eduardo Moniz já seguiu e aguarda-se posição da Entidade Reguladora para a Comunicação Social. Certamente que o resultado será mais do mesmo; ou seja, mais uma deliberação e nunca sanção. Menos advertente para interior e mais interventiva para o exterior é algo que se pede a uma instituição deste cariz, na defesa do sector, sob pena de cair no marasmo operante, questionando-se apenas o porquê da própria existência.

Mas tão preocupante quanto o atentado à liberdade de expressão é o facto de o Benfica não olhar a meios para copiar o que vai sendo perpectuado no seio do Dragão. Pena é que as imitações sejam sempre pelos piores motivos.

16 de junho de 2009

Anedota do Ano


Sabem por que é Luís Filipe Vieira e Manuel Vilarinho tanto querem contratar Jesus?
Porque só ele consegue transformar a água em vinho!!!
:)

9 de junho de 2009

O Verdadeiro artista

Grande artista! Quando todos pediam eleições antecipadas, para melhor e atempadamente preparar a nova época, disse “nem pensar”. Acusava tudo e todos de “oportunistas”; de quererem “usar o Benfica para auto-promoção”. Vai daí e despede treinador e tem tudo tratado com outro. Logo de seguida, a par de toda e direcção, demite-se; agora sim, marca a ida às urnas.
Isto é que é saber gerir um clube! Isto é que é defender os interesses da agremiação. Quem vier a seguir que fique com a batata quente. Mas também se for reconduzido, tudo se resolve, até porque só o Apito Dourado, pensa ele, não o deixa ganhar!
Vieira, o grande artista! O homem que vê em Veiga o ex-amigo e que não pretende reconhecer em Setembro…
Assim vai o clube da águia… cada vez mais depenado de pessoas altruístas, de bem, com personalidade, que trabalhem em nome do colectivo -leia-se Benfica.

1 de junho de 2009

Directo de Oeiras

Mais uma… Com pouca história… Um jogo para adormecer… Primeira parte com o corpo a servir para fritar umas febras e para ser refrescado com uma cervejinha… Segundo tempo nublado, propício para fumar uns cigarritos…
Uma viagem a Oeiras que vale mesmo pelos dois dias passados entre amigos. Excelente hotel, não menores vistas, a dois passos do miserável e terceiro-mundista estádio municipal local, óptimo jantar,
passagem pelo Hard Rock, subida ao Bairro Alto… e amanhecer a apreciar a foz do Tejo.
Quanto ao jogo, pouco me lembro dele, até porque Lisandro encarregou-se de selar a 14.ª Taça de Portugal para o FC Porto, logo
aos seis minutos, a pedido de Raul Meireles e para desespero do Paços de Ferreira.

29 de maio de 2009

E o exemplo é...


Aqui está a bandeira de cartaz de um dos candidatos à presidência do Benfica.
Vá lá que Bruno Carvalho - ironicamente o director do Porto Canal - assume o exemplo e a superioridade azul e branca no panorama do futebol português.
Pelo menos o discurso é inovador é bem diferente daquele que vê nas alegadas jogadas de bastidores a justificação para os sucessivos fracassos internos...

23 de maio de 2009

Até que enfim que alguém conseguiu calar esta figurinha animada... uma vergonha para o jornalismo e para toda a comunicação.

18 de maio de 2009

Grande Olhanense!

E pronto… Com a chancela do bom trabalho de Jorge Costa, voltamos a ter uma equipa do Algarve na Liga. Mais do que dar os parabéns ao grande Olhanense, por se sagrar campeão da Liga de Honra, devemos também agradecer-lhe o facto de possibilitar com que termine o argumento de que a final da Taça da Liga e a Supertaça se deve disputar no Estádio do Algarve, para que o futebol chegue também ao Sul do país!
Posto isto, que tal olhar agora mais para Trás-os-Montes?

12 de maio de 2009

Dois séculos de FC Porto!

A data de fundação do FC Porto parece que continua a dar que falar. Uns dizem que a responsabilidade se deve a António Nicolau d'Almeida, corria o ano de 1893 (a versão oficial), outros que o clube tripeiro apenas se apresentou nos primeiros anos do século XX.
Pois bem, o Alto Bola foi mais longe no estudo e conclui que, a ver pela imagem, nenhuma das duas teses parece ser a mais correcta. É que as cidades de Gaia e Porto decidiram recriar, este fim-de-semana, as segundas invasões francesas de Março de 1809 e, pelo visto, na altura já existiam camisolas dos dragões junto das vestes militares de há 200 anos!!!

11 de maio de 2009

Tetra vs Treta

Está feito. Com maior ou menor oposição, o desfecho é o esperado: o FC Porto volta a sagrar-se campeão nacional. O 17.º título da era Pinto da Costa é ainda coroado com o primeiro tri seguido de um treinador português, neste caso Jesualdo Ferreira.
Habituados a tantos festejos, a tradição da folia nas ruas do Porto já não é o que era, a não ser que se trate de uma conquista europeia. Apesar de tudo, ainda há quem resista aos inúmeros feitos e diga presente na hora da chamada.
Sem querer entrar em grandes pormenores acerca da temporada, dos jogos nem tão pouco deste último ante o Nacional, até porque o fim do filme é sempre o mesmo - os artistas sobrevivem e são os verdadeiros heróis -, de uma coisa não tenho duvidas: os campeonatos não se celebram no Inverno, à saída de jactos particulares nem tão pouco diariamente nas primeiras páginas dos jornais.
Enquanto uns preferem trabalhar e lutar por objectivos, outros há que dão privilégio à imagem, às passarelas da fama e ao infotainement. Enquanto uns levantam taças, outros há que preferem apresentar jogadores à porta de hotéis, sob a batuta de que “para o ano é que vai ser”. Uns celebram o tetra, outros a treta... Quando assim é, há alguém que duvide que o penta para os dragões é uma questão de meses? Alguém estranha que a euforia das vitórias no Porto seja diferente da dos anos 80 e 90?
Como nota de rodapé, aqui fica o registo de que, com mais este feito, os azuis e brancos estão apenas a sete títulos do Benfica (24 para 31) e que ultrapassam mesmo os encarnados na soma de campeonatos em todos os escalões, desde os infantis aos seniores (75 para 74).
Parabéns à organização do FC Porto, com a chancela Pinto da Costa – o dirigente desportivo com maior sucesso no mundo e, por que não dizê-lo, o melhor de todos os tempos em Portugal.

16 de abril de 2009

De cabeça erguida...

Eliminados mas de cabeça erguida. O bom-nome de Portugal voltou a ser dignificado pelo FC Porto além fronteiras. Chegou aos ‘quartos’ da Champions, colocou em sentido o campeão do Mundo e só não o deitou por terra por pormenores.
Depois de uma excelente primeira-mão forasteira, onde a vitória ditava a justeza, até pelo domínio conseguido no meio-campo, o desafio do Dragão revelou-se totalmente o oposto. O 4x2x4 inglês, com Rooney na direita, Giggs na meia esquerda, Ronaldo colocado nos centrais e Berbatov entre a segunda e terceira linha confundiu por completo o miolo. Fernando andou 45 minutos atarantado, à procura de quem marcar, ficando a situação agravada pela lesão de Lucho e pela falta de um treinador no banco (castigo irrisório no tempo, a 24 horas do encontro e já depois da conferência de imprensa de antevisão efectuada; mais uma machadada dada nos azuis e brancos pelo órgão disciplinar da UEFA…).
A perder ao intervalo – golaço do número 7 português -, Jesualdo deve ter falado com quem de direito, por vias alternativas, e Rodríguez foi recurso para o meio, dando agressividade ofensiva e aclamando ao bom momento do extremo Mariano. O pior aconteceu com a retirada do 10 portista para a entrada de Farias - seria preferível trocar o desinspirado Hulk, dando a esquerda a Lisandro -, até porque o coração ganhava espaço à razão na forma de jogar.
Verificada a superioridade táctica e técnica do Manchester United, o resultado (0-1) acaba por ser justo, decidido pelos tais pormenores do futebol, ficando o amargo de boca pelo FC Porto não ter ido mais longe, perante o público que enchia o estádio em noite de Inverno, e, repito, após a brilhante exibição em Old Trafford.
Ficam os parabéns ao FC Porto; para o ano há mais…

8 de abril de 2009

Regresso às noites mágicas

Fantástico! O FC Porto provou em Inglaterra o porquê de ser uma das equipas mais temidas na Europa, pese embora o discurso de alguns dos protagonistas, que mais não serviram do que meros ‘mind games’ para colocar alguma pressão na formação portuguesa.
Pela primeira vez em três anos tiro o chapéu ao treinador azul e branco. Não inventou, apenas retocou movimentações face ao adversário, e saiu de Manchester com um empate (2-2), que bem podia ter sido uma vitória. Mais do que isto, demonstrou que as evoluções técnicas e tácticas de Fernando, Cissoko, Mariano e do próprio Hulk não podem ser obra do acaso; aqui também há trabalho de Jesualdo Ferreira.
Depois do regresso às noites mágicas europeias, a eliminatória está em aberto… Agora que se tente vencer no Dragão, até porque o FC Porto já não ganha na Champions há três jogos. Para isto, nada melhor do que voltar a encarar o opositor com a mesma bitola: tentar jogar bem para impor o próprio futebol, até porque todos os caminhos vão dar a Roma.

7 de abril de 2009

Este grande golo pertence a Grafite, no último Wolfsburg Bayern de Munique (5-1), e é, sem dúvida, candidato a melhor do ano... na categoria Individual.

http://videos.sapo.pt/gjFUpFzBa0Bjo7wQ2RfS

4 de abril de 2009

Apito final... parágrafo

E agora? Que legitimidades têm as sanções disciplinares impostas ao presidente do FC Porto perante a conclusão em sede própria do famigerado caso do apito? Não seria esta uma boa altura para se criar um real tribunal desportivo - a imagem do que existe, por exemplo, em Itália -, para que não surgissem, sobre o mesmo assunto, decisões jurídicas tão dispares de conteúdo? Com juízes equidistantes de interesses coloridos, corporativistas ou simplesmente que agem em nome de colectividades?
Assim, evitar-se-ia interrogar sobre a legitimidade desta Comissão Disciplinar da Liga no futebol português. Mais: já agora, evitar-se-ia apelidar um assunto sério de Apito Final, quando no fim vemos que ele não passou de um mero parágrafo!
Tal como os ordenados em atraso, este sim devia ser um dos assuntos na linha na frente quando se fala em pugnar pela verdade desportiva. E esta necessidade até nem precisa de aval do (conservador) International Board da FIFA.


PS: foto retirada do blog Brigada Azul

3 de abril de 2009

Preocupante...

"O castigo aplicado a Lisandro abre um precedente"; todos o dizem. Mas mais importante do que o precedente é lembrar o antecedente. E, pelo visto, o que antecede não é equiparado ao que agora é julgado - isto recordando apenas o que se passou esta temporada em alguns estádios.
A falta de percepção sobre o jogo e a
atroz 'clubite' nos órgãos jurídicos e disciplinares do nosso futebol são preocupantes… para não dizer outra coisa…

30 de março de 2009

De Madrid…

A pedido de várias famílias, eis um vídeo do último Atlético Madrid-FC Porto, primeira-mão dos ‘oitavos’ da Champions, jogado na capital espanhola.
Alertamos para o vocabulário susceptível de ferir as pessoas mais sensíveis. É que isto de filmar ao lado do Vasco…

video

Destino de Veloso

Não joga no Sporting. Os problemas disciplinares acentuam-se. Deixou de ser convocado para a selecção. A família e o empresário amparam-no e aconselham: "o melhor é deixar Portugal". Resultado: parece que Espanha é o destino de Miguel Veloso!...

Fragmentos (possíveis) no Dragão

Conforme o prometido, aqui fica uma fotografia e dois vídeos do último empate de Portugal frente à Suécia. Lamento a fraca qualidade dos momentos, pois os mesmos foram captados no Estádio do Dragão através do telemóvel. E a razão é simples: ao Alto Bola foi negada a recolha de imagens com a habitual máquina de serviço.
PS: Além do nulo, fica a lamecha pelo comportamento dos responsáveis destacados (funcionários do FC Porto ao serviço da federação), até porque desta vez o Alto Bola tinha tripé (de mesa) e tudo!!!...
Vídeos
video
video

Nulidade táctica

O apuramento de Portugal para o Mundial 2010 está cada vez mais complicado. Terceiro empate a zero seguido, desta vez em casa com a Suécia. O fraco aproveitamento ofensivo é, sem dúvida, a principal dor de cabeça nacional. Todavia, há outros factores operativos da máquina das quinas com os quais pouco ou nada me identifico. É que isto de ter de ganhar e acabar o desafio com quatro centrais (!) em campo tem muito que se lhe diga.
Debruçando-me apenas nos jogadores seleccionados e constatando que Portugal alinhou no habitual 4x3x3, com Pepe a trinco e sem ponta-de-lança, logo percebemos o conservadorismo de Carlos Queiroz. Se somarmos a isto a lesão de Bosingwa e a entrada de Rolando… a precisar dos três pontos…
Assim sendo, atendendo aos atletas que temos, seria muito mais interessante ver uma defesa a três (Pepe, Carvalho e Alves a segurar o duo sueco), com quatro médios (dois deles abertos – Bosingwa e Duda a fazer toda a ala – e dois box-to-box) e um trio ofensivo irrequieto, sempre em constante mutação. Ou seja: um homem a mais no sector recuado, uma intermediária sólida com dois velozes falsos laterais e técnica quanto baste no ataque. Aliás, penso mesmo que o 3x4x3 ou o 3x5x2 seriam as melhores tácticas para o perfil da actual selecção.
Sou suspeito por trazer à relação este fundamento, até porque é desta forma táctica que mais me identifico com o futebol. Contudo, e repito, vendo o momento e os atletas escalonados, seria esta a forma mais eficaz de atacar o prejuízo.
Quanto ao apuramento, veremos…

24 de março de 2009

A caminho do Mundial

Última hora: o Alto Bola vai estar presente no próximo compromisso de Portugal. Não perca algumas imagens e vídeos do importante jogo frente à Suécia, este sábado, rumo ao Mundial da África do Sul.

Bruno Alves certo no Barcelona

Há muito se tem falado da saída de Bruno Alves do FC Porto. Pois bem, ao Alto Bola chegou, este sábado, a confirmação. Fontes próximas do defesa confessam que o negócio está feito, que o destino de final de época é o Barcelona e que 30 milhões de euros é a verba acordada com os dragões. Mais: para assegurar a transferência, com a chancela requisitada a Jorge Mendes, o clube da Catalunha já acordou os trâmites do pagamento referente a 20 milhões, ficando os restantes 10 para Junho próximo
Com Lucho a não querer representar um clube que apenas lute por lugares europeus, mesmo que em campeonatos mais apetecíveis, será Lisandro o próximo a deixar os azuis e brancos? Veremos...

O que começa mal...

Lucílio Baptista no melhor que sabe! O pior árbitro do futebol português foi a melhor coisa que aconteceu na pior competição nacional. O que começa mal tarde ou nunca se endireita. Uma prova (até bem-vinda) pessimamente organizada, cheia de anormalidades, com iresponsável definição dos moldes competitivos, só podia acabar desta maneira… Agradece o Benfica, para pena do Guimarães, Belenenses e, agora, do Sporting…

21 de março de 2009

Tranquilidade milionária

O sorteio dos ‘quartos’ da Champions ditou o Manchester United no caminho do FC Porto e deste rescaldo conclui-se que a tarefa dos dragões será complicada, mas não pode deixar de ser encarada com tranquilidade. Os campeões da Europa têm o melhor jogador do Mundo, actuam no melhor campeonato… esta equipa azul e branca é menos experiente que a de 2003/04, continua a “ganhar títulos no supermercado” (como disse Ferguson na altura), mas a ânsia de triunfar além-fronteiras mantém-se intacta.
E é perante esta energia que os tricampeões nacionais têm de se debruçar. Partir como não favoritos, apontado como o menos provável a vencer a competição, o que dá mais dinheiro nas casas de apostas, quase que considerado como o ‘bombo a festa’… Resta-lhe manter-se fiel à postura, não alterar a dinâmica ofensiva (aproveitar as conhecidas debilidades da defesa contrária), ajustar um quarto médio nas movimentações defensivas (ganhar o meio campo com Rodriguez, sem se abdicar de um avançado) e contar com um treinador ambicioso, à imagem de um campeão que, com menos poderio, tem melhor currículo internacional que o opositor e que com ele reparte a liderança de presenças na prova milionária.

Bracarenses de parabéns

Apesar de eliminado dos ‘oitavos’ da UEFA, aqui ficam os merecidos parabéns ao Sporting de Braga. Jesus mostrou ambição, teve o pássaro na mão, mas o sonho caiu por terra. Alguma falta de experiencia internacional, traduzida por uma certa ansiedade colectiva, acabou por ser fatal. Todavia, excelente é o adjectivo que se pode aplicar a este Braga europeu.

PS: Já agora, parabéns também a todos os bracarenses que quase encheram a Pedreira. Mais uma vez se prova que quando os pequenos entram no topo da agenda medática, a adesão tende a ser maior. Que assim fosse para todos os clubes durante toda a época. Descolorar o futebol português… Lembra-se?

17 de março de 2009

Sem comentários…

Não se pode resolver o problema da sida com a distribuição de preservativos; pelo contrário, a sua utilização agrava o problema”, palavras do Papa Bento XVI, esta terça-feira, horas antes de aterrar em África (!).
Perante tal conservadorismo secular, registo mais uma lamentável postura e não perco mais tempo em comentários...

16 de março de 2009

Em tempo de crise...

E porque em tempo de crise tudo serve para criar uma oportunidade, eis uma boa iniciativa comercial captada em Faro.

13 de Março de 2009

Dois anos completados. Três dias de festa: primeiro com os pais, depois com os amigos, mais tarde com toda a família. Uma jornada em cheio, com o bom tempo a ajudar. Mais uma vez: parabéns Mafalda.

12 de março de 2009

Entre os oito melhores

Ora aqui está mais um feito do FC Porto; de regresso aos ‘quartos’ da Champions, depois de eliminar o Atlético de Madrid.
Quatro inglesas, duas espanholas, uma alemã e outra portuguesa. Este é o figurino que se segue no panorama das oito melhores equipas da Europa. Agora que venha o diabo e escolha. Uma coisa é certa: perante a disparidade de valores (a equipa de Jesualdo é inferior à de Mourinho), vale a camisola azul e branca para colocar em sentido qualquer adversário, tendo sempre Roma no horizonte.

PS: Se tivesse poder de escolha, evitaria Manchester United, Chelsea, Liverpool e Barcelona. Sobram três. Arsenal e Villarreal estão ao alcance; mas giro seria reeditar a final de Viena com o Bayern de Munique e mostrar que o futebol português é bem diferente quando em causa está o símbolo do dragão.

11 de março de 2009

Inexperiência

Inexperiência. Assim se pode adjectivar a humilhação (12-1) vivida pelo Sporting aos pés do Bayern de Munique nos ‘oitavos’ da Champions. Uma postura a fazer lembrar os duelos internacionais das décadas de 70 e 80. Entrar em campo com medo, desconfiança, com complexos de inferioridade. Pensava que este pensamento há muito tinha sido varrido dos intervenientes nacionais.
Sem ou com apitos, sem ou com jogadas de bastidores para liquidar marcas de clubes ou homens do futebol, valho-nos pelo menos as prestações e o nome FC Porto na Europa para engrandecer o desporto-rei português.

6 de março de 2009

Descolorar a bola


Em Portugal só existem três cores. Ao centrar-se a informação exclusivamente aos olhos do Benfica, Porto e Sporting, estamos a hipotecar o futuro do futebol nacional. Há mais futebol para além deste...
Carlos Queiroz, esta quinta-feira, durante uma entrevista dada à RTPN, onde mostrou, entre outras boas ideias, a preocupação pelo desporto-rei português, tendo como perspectiva uma visão de médio e longo prazo.
Será que não chegou a altura de descolorar a bola em Portugal?

19 de fevereiro de 2009

O “Vilão de Lisboa”

Há assuntos que andam congelados na gaveta, cujo teor nos apetece dissecar, mas onde a temporalidade obriga a um certo rigor. Por diversas vezes ponderei debruçar-me sobre ele. Contudo, tinha a certeza que mais episódios do género se iam repetir; e por que não aproveitar a melhor altura. Não sei se é esta a ideal. Mas porque estou a ficar sem pachorra, aqui vai o sulfato.
Rui Costa. Menino querido na Luz; razoável carreira como atleta; excelente médio; decisivo em muitos desafios. Ex-capitão; número 10; um maestro. Um exemplo competitivo.
Rui Costa. Menino mimado. Que cria grupos e inimizades. Moralista. De mau feitio. Timoneiro, protagonista e o centro das atenções na ponte entre companheiros e direcção. Um mau modelo.
Confesso que pasmei quando me contaram certas situações em torno desta personalidade. Via-a como diplomata e custei acreditar. A imagem passada para o público, no qual me incluo, era diferente.
Todavia, agora na pele de dirigente, muito do que me chegou aos ouvidos confirma-se.
Assim, vamos a factos:
. Há duas temporadas, ainda como jogador, o então número 10 do Benfica pegou-se com Jesualdo Ferreira no túnel do Dragão - desentendimento este trazido à estampa pelo jornal O Jogo;
. Acusações dirigidas a Lucílio Baptista, concluídos os 90 minutos, na partida do Bessa do ano transacto, que para o ainda atleta serviram para dar um murro na porta do balneário do juiz de Lisboa, desculpe, de Setúbal;
. Esta época, já como dirigente, troca de palavras mas acesas com responsáveis do Marítimo, na Luz e no final do jogo;
. Impropérios emitidos à equipa de arbitragem, também este ano, finda a recepção ao Vitória de Setúbal, que originou num convite para ser ouvido na Comissão Disciplinar da Liga
. Permuta de galhardetes com um jornalista, no final do jogo de Atenas (Valdemar Duarte – amigo de José Veiga), depois de o Benfica ter sido goleado (5-1) pelo Olympiakos;
. Deselegância para com pessoas ligadas ao Leixões, ainda esta temporada, no regresso às cabines e no rescaldo de um empate;
. Por último, este domingo, visto a pressionar os árbitros no túnel da Luz, durante o intervalo da recepção ao Paços de Ferreira, quando o resultado ainda marcava um nulo.

Tudo isto aconteceu em apenas três anos, desde que Rui Costa decidiu abandar o título de emigrante para regressar à pátria. O “príncipe de Florença” e “rei de Milão”, bem pode agora assumir o papel de “vilão de Lisboa”!

De uma coisa não tenho dúvida: pressões existiram, existem e sempre existirão (infelizmente) em todos os clubes. Eu próprio, enquanto jornalista, também já me senti pressionado, para não dizer ameaçado. Mas uma coisa é certa: sabia sempre de onde podiam surgir tensões e preparava-me para isto. Mais preocupado fico quando elas nos passam pela frente vindas de onde menos se espera.
Por isso, e pela vertente humana que me toca, concluo: mais vale alguém ter mau carácter, mostrar-se como tal e assim ser avaliado, do que se esconder, exibir-se como ser alguém que não é e ter o dom de nos conseguir enganar.

Marcar ao Benfica é com eles [Liedson e Vukcevic]”, diz O Jogo em alusão ao próximo Sporting-Benfica. “Reys papa-dérbis”, sublinha o Record a respeito do mesmo jogo. “Tudo menos empate no derby”, evidencia A Bola referindo-se também a este encontro. Estas são as manchetes dos três principais matutinos desportivos.
Pergunto eu: será que o Sporting de Braga goleou (3-0), esta quarta-feira, o Standard Liège na Taça UEFA? Dignificou a equipa do Minho o nome de Portugal na Europa?
Já não há pachorra para estes energúmenos…

10 de fevereiro de 2009

Quem é o burro?

Acabou a era Scolari em Inglaterra. A resposta aos maus resultados no Chelsea teve este fim. Um episódio para muitos esperado e que vale vários jantares. Uma aposta que pouco importa ao brasileiro, até porque leva de Abramovich quase nove milhões de euros de indemnização, aproximadamente o que ganhou em Portugal em cinco anos, e está pronto a passar o Carnaval em terras de Vera Cruz, enquanto espera por novo convite milionário! É caso para dizer: “E o burro sou eu?!”

9 de fevereiro de 2009

(D)empatas

Empate. Assim acabou o tão aguardado clássico. Os da casa melhor na primeira parte, a claudicar na finalização e nas bolas paradas defensivas; os gigantes opositores impunham respeito (0-1). Os visitantes melhor no reatamento, a controlar os ímpetos contrários (1-1). Assim decorreu o último FC Porto-Benfica.
E porque o futebol pouco interessa, sobre o resto: um penálti por marcar no arranque do encontro, a favorecer os dragões; outro mal assinalado para esquecer o primeiro erro; e, já agora, a fazer lembrar Moutinho, Polga e Postiga (na área dos azuis e brancos, este ano, em Alvalade), bem como Di Maria (na Luz, também esta época, ante o Braga).
A luta na frente continua, mesmo que (quase toda) a (des)comunicação social assim não queira. Estes, sim, os verdadeiros (d)empatas…
Por isso, aqui deixo uma frase bem famosa: “Pode-se enganar todos algum tempo; pode-se enganar alguns todo o tempo; mas não se pode enganar todos o tempo todo”.

5 de fevereiro de 2009

Anormalidades da Taça da Liga

Estão encontrados os dois finalistas da Taça da Liga. Sporting-Benfica no derradeiro jogo. Numa competição pautada pela anormalidade, tudo vulgar no que diz respeito aos finalistas; vai de encontro ao desejo da organização, ao anseio do patrocinador e, por que não, à maioria dos portugueses: um desafio entre ‘grandes’… no inútil Estádio do Algarve!
Se o formato tem muito que se lhe diga – concretamente no interesse dos mais fortes, na marcação inapropriada dos embates decisivos, no próprio calendário, na inexistência de avaliação das arbitragens (veja o que se passou em Vila do Conde e, esta quarta-feira, na grande área do FC Porto em Alvalade), na indefinição linguística e estrangeirismos dos regulamentos -, resta a boa nova de gerar mais receitas e mais (tel)espectadores.
Perante tudo isto, e como nota de rodapé, fica a estupefacção perante os comentadores de serviço no canal televisivo responsável pelas transmissões dos jogos (péssimas críticas dos lances colectivos, opiniões e erros nas análises individuais dos jogadores – como por exemplo “a estreia oficial de Custódio no Guimarães", depois de ter jogado cinco minutos em Setúbal)…
Em suma, sendo a Taça da Liga uma enorme anormalidade, fica a esperança de tudo se alterar futuramente, porque esta até poderá vir a ser uma prova algo interessante.

30 de janeiro de 2009

Lamentos mediáticos

Há uns tempos arredado do jornalismo desportivo, continuo atento ao que o sector vai produzindo diariamente. É certo que muito de bom se vai fazendo, mas não menos verdade é o persistir dos atropelos à informação e o desrespeito pelos próprios parceiros de profissão. Vem este comentário a propósito de três situações que ocorreram esta quinta-feira:

1 – O Diário de Notícia, pela mão do meu amigo Bruno Pires, traz à estampa que Quim esteve nas cogitações do Getafe e que o guardião via com bons olhos a saída do Benfica - garantiu-lhe o presidente do clube espanhol (boa, Bruno; mais uma vez, andaste à frente dos demais). Pois bem, o que fez a Rádio Renascença, no programa Bola Branca? Picou a matéria, fê-la como se fosse cacha própria, ouviu a referida personagem e não revelou a fonte de tal trabalho jornalístico (postura que não é original). No mínimo, lamentável…
2 –O Benfica não perde mais esta época”. Foi desta forma que Yebda respondeu a uma criança, durante a visita a uma escola, que lhe havia perguntado como reagia o treinador Quique Flores à derrota. A frase inocente deixou de ter como receptor os mais pequenos, transformando-se em termos mediáticos e como se fosse produzida para todos os portugueses. Descontextualizada. No mínimo, lamentável…
3 – O sensacional Atlético de Valdevez foi eliminado da Taça de Portugal. A formação do Alto Minho apenas caiu nos penáltis perante o Nacional. Imagens e resumo do jogo em canal aberto? Nada. Alguma coisa na estação pública? Nada. Só nesta sexta-feira. Será que isto acontecia se tivesse em causa um dos três grandes? Claro que não. Por isso, no mínimo lamentável…

28 de janeiro de 2009

Grande(s) sistema(s)

Sempre me trataram por Sr. Coluna, sempre fui respeitado. Por exemplo, lembro-me bem quando Salazar me convidou para, ao lado dele, cortar a fita de inauguração da ponte [na altura com o nome do chefe de Estado e mais tarde rebaptizada de 25 de Abril]. No meu tempo, o Benfica nunca teve problemas com a arbitragem... ”. Palavras de Mário Coluna, ex-capitão das águias, esta terça-feira, no programa Trio de Ataque da RTPN.
Conclusão: O ‘sistema’ sempre existiu ou não? São ou não sempre os 'grandes' a dominar os bastidores? Quem se f… é ou não eternamente o mexilhão?!

PS: apesar da dúvida pender sempre para os mesmos, a Liga deste ano continua, ao nível da classificação, interessante. Pena os da frente serem interminavelmente os mesmos.

20 de janeiro de 2009

Novo atropelo ao jornalismo

Mais 122 jornalistas despedidos! Desta vez é a Controlinveste (DN, JN, O Jogo, 24 Horas, Sport TV, TSF, Açoriano Oriental, Jornal do Fundão, DN Madeira...) que acciona um processo de despedimento colectivo. Este é o resultado, por ventura, de uma má gestão dos órgãos de informação que o grupo tutela; pode ser mais um de reflexo da crise; ou apenas uma justificação depois de (ab)usado o novo Estatuto do Jornalista
Aqui fica o lamento para mais um desrespeito por esta classe, pelo desprezo pela profissão e uma palavra de incentivo para com os mais recentes desempregos. Bem-vindos à realidade que, há ano e meio, também a mim me afectou. Deixo o conselho de procurarem alternativas, pois o jornalismo do século XXI está praticamente morto, silenciado, negociado, onde se contam pelos dedos os que têm condições para resistir.

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs